Dennis Vitolo

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Dennis Vitolo (Massapequa, Nova York, 18 de Dezembro de 1956) é um ex-corredor norte-americano.

Vitolo estreou na Champ Car (à época, Fórmula Indy) em 1988, já veterano (tinha 31 anos), pela Bettenhausen, no GP de Miami, terminando em décimo-primeiro lugar.

Na mesma Bettenhausen, fez uma temporada frágil em 1989, não conseguindo largar em Detroit e Mid-Ohio. Depois disso, ficou fora da edição de 1990 da Indy.

Regressou à categoria em 1991, pela Dale Coyne. Seu melhor resultado foi em décimo-quarto lugar conquistado em Nazareth. Manteve-se na equipe em 1992, repetindo o décimo-quarto posto na corrida de New Hampshire.

Permanecendo por mais um ano na Dale Coyne, Vitolo amargou a última colocação entre todos os pilotos inscritos na temporada de 1993, após não obter vaga no grid do GP´de Detroit.

No ano de 1994, se inscreveu apenas para a Indy 500 daquele ano, pela sua própria equipe (Vitolo Racing), que era apoiada pela equipe Simon. Abandonou após um acidente que envolveu, além dele, o compatriota John Paul, Jr. e o japonês Hideshi Matsuda. Acabou sobrando também para outro norte-americano, John Andretti, e para o inglês Nigel Mansell, que viu o carro de Vitolo em cima de sua Newman-Haas.

Em 1995, disputou uma única prova (GP de Miami), terminando em décimo-oitavo. No ano seguinte, pela equipe Project Indy. Assim como em 1994, disputou um único GP, em Long Beach, terminando na décima-sétima posição. Foi a última corrida disputada por Vitolo na Indy unificada, aos 39 anos.

Já na fase da CART, Vitolo manteve-se na Project, fazendo um sistema de revezamento com o alemão Arnd Meier. Em Michigan, ele surpreendeu ao chegar em sétimo lugar, melhor resultado na categoria, quando representava a Payton-Coyne.

Ele ainda disputou uma única prova na IRL, as 500 Milhas de Indianápolis de 1997, pela equipe Beck Motorsports.

Em 1998, aos 41 anos de idade, Vitolo permaneceu na PC, tendo como companheiro de time o jovem mexicano Michel Jourdain. A temporada do norte-americano beirou o ridículo, pois ele passou mais tempo abandonando as provas, terminando apenas uma, o GP de Portland, na décima-oitava posição. Não se classificou para o GP de Milwaukee e não conseguiu largar em Surfers Paradise. Mesmo tendo feito uma temporada tão ruim (terminou em penúltimo, à frente do japonês Hideshi Matsuda), Vitolo chamou a atenção por conta da pintura de seu carro, que, para muitos, era a mais bela do grid (o monoposto tinha uma pintura roxa que tendia a azul, com uma faixa verde-azulada com o patrocínio da Aquafresh).

1999 foi o último ano da carreira de Dennis Vitolo, que permaneceu na Payton-Coyne, tendo disputado oito corridas (7 com o carro #34, patrocinado pela Nicorette, uma com o #71, patrocinado pela Tang). Marcou dois pontos em Michigan, sendo os últimos pontos dele na CART.

Aposentou-se das corridas depois de ter abandonado no GP de Fontana, em virtude de um acidente.

Posts Relacionados