Asdrúbal Fontes Bayardo

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014


Nome
Asdrúbal Bayardo
País
Nascimento
26/12/1922
Morte
09/07/2006
Primeiro GP
Último GP
Melhor Grid
Melhor Resultado
Equipes

Estatísticas de Asdrúbal Bayardo
GPs
1
Largadas
0
Títulos
0
Vitórias
0
Poles
0
Pódios
0
Pontos
0
Volta + Rápidas
0
Voltas
0
Voltas como líder
0

Ano a ano de Asdrúbal Bayardo
Ano Equipe Motor GPs Pódios Poles Voltas VMR Líder Med Pts Pontos
Maserati
1
0
0
0
0
0
0
0
0
0.00
0

Temporadas de Asdrúbal Bayardo
67

Resultados de Asdrúbal Bayardo
NL
1 vez

Corridas de Asdrúbal Bayardo
Ano
GP
No
Equipe Motor
Grid
Pos
Volta mais rápida
Líder
Abandono
Pts
1
36
Maserati
22
NL
Não largou
0

Companheiros de Asdrúbal Bayardo
Temporada
Equipe Companheiro
Melhor Pos
Pontos
Vitórias
Poles
Corrida
Grid
Maserati Carel Godin de Beaufort
22
9
0
0
0
0
0
0
0
1
0
1
Maserati Fritz d`Orey
22
10
0
0
0
0
0
0
0
1
0
1
Maserati Giorgio Scarlatti
22
8
0
0
0
0
0
0
0
1
0
1

Asdúbal Esteban Fontes Bayardo (26 de dezembro de 1922, Pan de Azucar - 9 de julho de 2006, Montevidéu), foi um piloto de automóveis uruguaio, mais conhecido por sua inscrição no Grande Prêmio da França de Fórmula 1, em 1959.

Durante os anos 50, Fontes Bayardo, conhecido como "Pocho", participou de diversas provas da categoria Força Livre para monopostos na América do Sul. Em 14 de outubro de 1956, na inauguração do circuito de El Pinar, venceu o Grande Prêmio Juan Manuel Fangio, pilotando um Maserati 4 CLT com motor Chevrolet. No final do ano seguinte, venceu, com o mesmo carro, uma prova disputada em Interlagos.

Foi para a Europa em 1959, juntamente com o brasileiro Fritz d'Orey, para correr na Scuderia Centro Sud. Sua unica participação na Fórmula 1 foi nos treinos do Grande Prêmio da França, quando não conseguiu tempo para classificação. Eventualmente, é citado como inscrito, ainda, na prova seguinte, disputada na Inglaterra, porém sem comparecer.

Alguns anos antes, em 1956, contudo, ele havia participado de maneira mais decisiva numa prova da categoria, mas não pilotando. No Grande Prêmio da Argentina, que abria aquela temporada da Fórmula 1, Juan Manuel Fangio saiu da pista na volta 25, na curva Ascari, e ficou preso no barro, sendo empurrado por um fiscal de prova e por Fontes Bayardo, que, oficialmente, não tinha nenhuma participação na prova. A partir daí, Fangio, que já havia perdido seu carro e, no momento do incidente, assumira o de Luigi Musso, partiu para a vitória que seria a primeira de seu quarto título. Anos depois, Fangio admitiu que havia passado o restante da prova aguardando a sua desclassificação, o que nunca ocorreu.

Depois de abandonar as pistas, Bayardo manteve-se em contato com os automóveis, gerenciando revendas General Motors no departamento de Maldonado. Em 1963 participou da fundação da IAMSSA (Industrias Automotores Mar y Sierra S. A.), que montava, em sua cidade natal, picapes sobre as mecânicas do Opel Rekord e do Ford Taunus, chamadas Marina. Em 1972, a empresa foi vendida à FIAT da Argentina. Asdrúbal Fontes Bayardo faleceu em Montevidéu, em 2006, aos 83 anos de idade.

Posts Relacionados