Al Pease

quarta-feira, 15 de outubro de 2014


Nome
Al Pease
País
Nascimento
15/10/1921
Primeiro GP
Último GP
Melhor Grid
Melhor Resultado
Equipes

Estatísticas de Al Pease
GPs
2
Títulos
0
Vitórias
0
Poles
0
Pódios
0
Pontos
0
Volta + Rápidas
0
Voltas
69
Voltas como líder
0

Ano a ano de Al Pease
Ano Equipe Motor GPs Pódios Poles Voltas VMR Líder Med Pts Pontos
Eagle
1
0
0
0
0
0
22
0
0
0.00
0
Eagle
1
0
0
0
0
0
47
0
0
0.00
0

Temporadas de Al Pease
38
27

Resultados de Al Pease
DES
1 vez
NC
1 vez

Corridas de Al Pease
Ano
GP
No
Equipe Motor
Grid
Pos
Volta mais rápida
Líder
Abandono
Pts
2
GP do Canadá
69
Eagle
17
DES
Muito lento
0
1
GP do Canadá
11
Eagle
15
NC
Abandono
0

Companheiros de Al Pease
Temporada
Equipe Companheiro
Melhor Pos
Pontos
Vitórias
Poles
Corrida
Grid
Eagle Dan Gurney
15
3
0
4
0
0
0
0
0
1
0
1

Victor "Al" Pease (Darlington, 15 de outubro de 1921) é um ex-automobilista inglês, mas que corria pelo Canadá.

Piloto de relativo sucesso no automobilismo canadense, Pease fechou uma parceria com a fabricante de lubrificantes Castrol e, com o apoio desta, alugou um carro Eagle para o GP do Canadá de 1967. Pease, um dos diversos desconhecidos que se aventuravam na F-1, tenha sido o mais desastrado de todos.

Já nos treinos, Pease mostrou que não iria longe: seu tempo foi sete segundos mais lento do que o pole Jim Clark, da Lotus. Apesar de tudo, o canadense alinhou para a largada em 15º em um grid de 18 carros. No dia da corrida, um temporal atinge o circuito de Mosport Park e as coisas começam a dar errado para Pease antes mesmo da prova começar: Com problemas na bateria, ele perde a largada e só consegue sair para a pista quando os pilotos já estão na sexta volta.

Correndo em último, Pease não demora a rodar e ir para a grama. Seu motor fica tão cheio d'água que a bateria descarrega novamente. Mesmo parado no ponto da pista mais longe dos boxes, Pease não desistiu. O canadense volta a pé, pega outra bateria com seus mecânicos e ele próprio instala o instrumento no carro, que continuava estacionado à margem da pista. Perde muito tempo e retorna para o circuito, quando já era o lanterna.

Quando a corrida termina, o resultado é impressionante: Pease, que chegou em último, acabou terminando a prova incríveis 43 voltas atrás do vencedor, Jack Brabham. Sua média de velocidade é ridícula: 69,4 km/h, menor do que um carro de passeio. Para comparação, Brabham completa 90 voltas e Pease, apesar de ter chegado ao fim, não é classificado porque não completara a distância mínima necessária.

Apesar do início desastroso, o piloto estaria de volta para a corrida de 1968. Novamente pilotando um Eagle, Pease é 15 segundos mais lento do que o pole-position Jochen Rindt e fica 8 segundos atrás do penúltimo colocado. O canadense não se classifica para a corrida.

Aos 48 anos de idade, Pease tem desempenho sofrível nos treinos e termina a 11 segundos do pole Jacky Ickx. Depois de ter perdido o patrocínio da Castrol, o canadense corre com um carro Lola, equipado com motor Chevrolet, claramente mais fraco do que o restante do grid. Não poderia dar outro resultado: na corrida, Pease é tão lento que acaba excluído pela direção da prova.

Já nas primeiras voltas, o piloto freia cedo demais para uma curva e o suíço Silvio Moser é obrigado a desviar para não bater. Moser sai da pista e acerta a barreira de proteção, tornando-se a primeira vítima de Pease. Logo depois, o francês Jean-Pierre Beltoise recebe uma vigorosa fechada e entorta a suspensão. A errática pilotagem de Pease acaba com uma disputa emocionante pelo quinto lugar e começa a irritar os chefes de equipe.

Quando Pease passa muito perto de jogar Jackie Stewart para fora da pista, Ken Tyrrell vai à direção de prova e pede a imediata desclassificação do canadense. O pedido é aceito e Pease se torna o primeiro - e até hoje - único piloto da história a ser excluído da prova por ser excessivamente lento. No total, ele completa apenas 22 voltas na corrida - na altura em que foi tirado da prova, os líderes já tinham mais do que o dobro disso.

Após o GP de 1969, Pease nunca mais retorna à Fórmula 1. Compete apenas em provas no automobilismo local até se aposentar. Foi incluído no Canadian Motorsport Hall of Fame (Hall da Fama do automobilismo canadense) em 1998.

Posts Relacionados