Lucas di Grassi

segunda-feira, 11 de agosto de 2014


Nome
Lucas di Grassi
País
Nascimento
11/08/1984
Primeiro GP
Último GP
Melhor Grid
Melhor Resultado
Equipes

Estatísticas de Lucas di Grassi
GPs
19
Largadas
18
Títulos
0
Vitórias
0
Poles
0
Pódios
0
Pontos
0
Volta + Rápidas
0
Voltas
769
Voltas como líder
0

Ano a ano de Lucas di Grassi
Ano Equipe Motor GPs Pódios Poles Voltas VMR Líder Med Pts Pontos
Virgin
19
0
0
0
0
0
769
0
0
0.00
0

Temporadas de Lucas di Grassi
24

Resultados de Lucas di Grassi
14º
1 vez
15º
1 vez
17º
2 vezes
18º
2 vezes
19º
3 vezes
20º
1 vez
NC
8 vezes
NL
1 vez

Corridas de Lucas di Grassi
Ano
GP
No
Equipe Motor
Grid
Pos
Volta mais rápida
Líder
Abandono
Pts
19
GP de Abu Dhabi
25
Virgin
22
18
0
18
GP do Brasil
25
Virgin
21
NC
0
17
GP da Coreia
25
Virgin
22
NC
Acidente
0
16
GP do Japão
25
Virgin
21
NL
Acidente
0
15
GP de Cingapura
25
Virgin
20
15
0
14
GP da Itália
25
Virgin
21
20
Suspensão
0
13
GP da Bélgica
25
Virgin
22
17
0
12
GP da Hungria
25
Virgin
21
18
0
11
GP da Alemanha
25
Virgin
24
NC
Suspensão
0
10
GP da Inglaterra
25
Virgin
22
NC
Hidráulica
0
9
GP da Europa
25
Virgin
21
17
0
8
GP do Canadá
25
Virgin
23
19
0
7
GP da Turquia
25
Virgin
23
19
0
6
GP de Mônaco
25
Virgin
21
NC
Mecânica
0
5
GP da Espanha
25
Virgin
23
19
0
4
GP da China
25
Virgin
22
NC
Embreagem
0
3
GP da Malásia
25
Virgin
24
14
0
2
GP da Austrália
25
Virgin
24
NC
Hidráulica
0
1
GP do Bahrein
25
Virgin
22
NC
Hidráulica
0

Companheiros de Lucas di Grassi
Temporada
Equipe Companheiro
Melhor Pos
Pontos
Vitórias
Poles
Corrida
Grid
Virgin Timo Glock
14
14
0
0
0
0
0
0
8
11
3
15

Lucas Tucci Di Grassi (São Paulo, 11 de agosto de 1984) é um automobilista brasileiro. O piloto faz sua estreia na Fórmula 1 em 2010, sendo o 30º brasileiro a correr na categoria.

Iniciou a carreira no kart, em 1997, então com 13 anos de idade, graças a influência do seu pai, Vito. E os bons resultados não demoraram a surgir: no mesmo ano foi campeão bandeirante e campeão paulista do interior, vencendo todas as corridas.

No ano seguinte Lucas foi campeão sul-americano. Ainda no kart conquistou o título pan-americano em 2000.

Em 2002 veio o vice-campeonato brasileiro da Fórmula Renault. Em 2003 foi vice-campeão da Fórmula 3 Sul-americana.

Em 2004, Aos 19 anos, Lucas foi escolhido entre cerca de 100 jovens pilotos de todo o mundo, para fazer parte do programa de desenvolvimento de jovens pilotos da equipe Renault de Formula 1, no qual permaneceu por 4 anos.

Em 2005 venceu o tradicional e cobiçado GP de Macau de F3, repetindo o que já haviam feito os brasileiros Ayrton Senna e Maurício Gugelmin. Para sair com a vitória Lucas superou, entre outros, o polonês Robert Kubica e o alemão Sebastian Vettel.

Em 2006, transferiu-se para a GP2 Series com a equipe Durango, onde somou oito pontos e terminou em décimo sexto. Suas boas atuações na temporada de estréia, mesmo com um carro muitíssimo limitado, chamaram atenção das equipes maiores. Após o término do campeonato, fecha contrato com a equipe bicampeã, ART Grand Prix, para a temporada 2007, onde terminou com o vice-campeonato, perdendo o título para o alemão Timo Glock, da iSport.

Em 2008, assume a condição de piloto de testes da equipe Renault F1, tornando-se reserva imediato dos titulares Fernando Alonso e Nelsinho Piquet. Ainda em 2008, Di Grassi retornou para competir na GP2 Series a partir da sétima etapa da competição, e mesmo assim, terminou na terceira colocação na temporada (dois pontos do vice-campeão Bruno Senna e dez do campeão Giorgio Pantano).

Após a excelente temporada, especulou-se que Di Grassi poderia ter uma vaga na Fórmula 1 em 2009, tendo chegado até a testar o carro da Honda F1, na Espanha, junto com o conterrâneo Bruno Senna. No entanto, com o fim das atividades da Honda na Fórmula 1, Lucas acabou sem chances de subir para a categoria principal do automobilismo.

Em 2009, continuou competindo na GP2 Series pela equipe espanhola Racing Engineering, pela qual o italiano Giorgio Pantano conquistou o título em 2008. Contudo o carro de 2009 não parecia ser competitivo o bastante, sofrendo constantes problemas mecânicos e excessivo desgaste de pneus. Mesmo assim Lucas terminou o campeonato na terceira colocação.

No dia 10 de dezembro de 2009 a imprensa ao redor do mundo confirmou o contrato de Lucas com a Manor Grand Prix e no dia 11 de dezembro de 2009 o próprio piloto, a convite da Rede Globo de Televisão deu a notícia de seu contrato ao vivo no programa Globo Esporte. Segundo Lucas, esta é a que tem melhor estrutura e maior chance de destaque entre as equipes novatas. A equipe Manor Grand Prix passau a se chamar Virgin Racing, empresa de Richard Branson, proprietário da Virgin Records que atua na industria fonográfica. Virgin Group já estava envolvido na F1 desde o início de 2009, patrocinando a Brawn GP, atual Mercedes GP.

No dia 15 de dezembro de 2009 Lucas foi confirmado oficialmente pela equipe Virgin Racing como titular para 2010, formando dupla com o alemão Timo Glock. Di Grassi fez uma boa temporada, dentro da possibilidades que carro e equipe lhe ofereciam. Ao longo do ano abandonou oito das dezenove provas, mesmo número de abandonos que seu experiente companheiro de equipe, quase sempre por quebras no problemático VR-01. Além disso, teve um carro nas mesmas condições do companheiro em apenas 4 das 19 provas, ainda assim conseguindo muitas vezes andar no mesmo ritmo, ou até superá-lo. Não chegou a largar no Grande Prêmio do Japão e sua melhor posição de chegada foi uma 14° colocação no Grande Prêmio da Malásia. Terminou a temporada à frente do companheiro de equipe. Após não ter seu contrato renovado pela equipe Virgin, que priorizou o dinheiro trazido pelo belga Jérôme d'Ambrosio, Lucas procurou vagas em outros times. Não conseguindo, o piloto afirmou tentar uma vaga de piloto de testes para 2011 e tentar voltar a ser titular em 2012. No dia 8 de abril de 2011 di Grassi foi confirmado como piloto de testes da Pirelli, fornecedora oficial de pneus da F1.

Di Grassi não conseguiu seguir na Fórmula 1 em 2011, perdendo a vaga para Jérôme d'Ambrosio. Para não perder o ritmo, o brasileiro aceitou a proposta da Pirelli para ser o piloto de testes fábrica italiana no lugar do espanhol Pedro de la Rosa, visando desenvolver os pneus para a F1 em 2012.6 Segundo o próprio piloto, isso pode ser uma vantagem em um possível retorno à categoria, uma vez que está conseguindo muitas informações sobre os pneus

Títulos
  • 1997 - Campeão Bandeirante de Kart
  • 1997 - Campeão Paulista do Interior
  • 1998 - Campeão Sul-Americano Sudam Júnior
  • 1998 - Campeão Bandeirante
  • 2000 - Campeão Panamericano de Fórmula A
  • 2005 - Campeão do Grande Prêmio de Macau da Fórmula 3

Posts Relacionados