Riccardo Paletti

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Nome
Riccardo Paletti
País
Nascimento
15/06/1958
Morte
13/06/1982
Primeiro GP
Último GP
Melhor Grid
Melhor Resultado
Equipes

Estatísticas de Riccardo Paletti
GPs
8
Largadas
2
Títulos
0
Vitórias
0
Poles
0
Pódios
0
Pontos
0
Volta + Rápidas
0
Voltas
7
Voltas como líder
0

Ano a ano de Riccardo Paletti
Ano Equipe Motor GPs Pódios Poles Voltas VMR Líder Med Pts Pontos
Osella
8
0
0
0
0
0
7
0
0
0.00
0

Temporadas de Riccardo Paletti
36

Resultados de Riccardo Paletti
NC
2 vezes
NL
1 vez
NQ
5 vezes

Corridas de Riccardo Paletti
Ano
GP
No
Equipe Motor
Grid
Pos
Volta mais rápida
Líder
Abandono
Pts
8
GP do Canadá
32
Osella
23
NC
Acidente Fatal
0
7
GP dos EUA
32
Osella
23
NL
Acidente
0
6
GP de Mônaco
32
Osella
0
NQ
Não Qualificado
0
5
GP da Bélgica
32
Osella
0
NQ
Não Qualificado
0
4
GP de San Marino
32
Osella
13
NC
Suspensão
0
3
GP do Oeste dos EUA
32
Osella
0
NQ
Não Qualificado
0
2
GP do Brasil
32
Osella
0
NQ
Não Qualificado
0
1
GP da África do Sul
32
Osella
0
NQ
Não Qualificado
0

Companheiros de Riccardo Paletti
Temporada
Equipe Companheiro
Melhor Pos
Pontos
Vitórias
Poles
Corrida
Grid
Osella Jean-Pierre Jarier
10
4
0
3
0
0
0
0
0
7
0
7

Riccardo Paletti (Milão, 15 de junho de 1958 - Montreal, Canadá, 13 de junho de 1982) foi um piloto italiano. A sua carreira na Fórmula 1 encontra-se entre as mais curtas da história, pois faleceu na largada da sua segunda corrida de Fórmula 1. Era a sua primeira corrida com o grid completo.

Paletti entrou para a pouco competitiva Osella Corse em 1982, trazendo o patrocínio da Pioneer conseguindo o segundo lugar vago na equipe. A sua primeira tentativa aconteceu durante o Grande Prémio de Kyalami (África do Sul) em Janeiro de 1982, não conseguindo qualificar-se para os três primeiros grandes prêmios.

No quarto Grande Prémio, em Ímola a 25 de Abril de 1982, no meio de uma guerra entre a FISA e a FOCA, apenas 14 carros leais à FISA arrancaram para a corrida, entre os quais estava Paletti. O italiano abandonou a corrida quando se encontrava na 13ª posição devido a danos na suspensão. Nas duas corridas seguintes, já com a grelha completa, voltou a não se qualificar.

No seu sétimo Grande Prêmio em Detroit, conseguiu pela primeira vez qualificar-se para uma corrida com o grid completo, mas, devido a um acidente na volta de aquecimento, não chegou a começar a corrida.

Quando se qualificou para o Grande Prémio do Canadá no domingo, 13 de junho de 1982, era a primeira vez que Paletti iria começar uma corrida com o grid completo. Na partida, os semáforos demoraram mais tempo do que o habitual. Durante esta espera, Didier Pironi, que estava na pole position, deixou o motor da sua Ferrari morrer. Quando as luzes mudaram para verde, os outros pilotos, apercebendo-se do obstáculo desviaram-se, tentando evitar bater em Pironi. Raul Boesel tocou de raspão na roda traseira esquerda do Ferrari, o que levou o seu March a ficar no caminho de Eliseo Salazar e Jochen Mass. Salazar, Boesel e Mass sofreram impactos menores e parecia que todos tinham passado pelo Ferrari sem problemas. Contudo, Riccardo não conseguiu reagir a tempo e bateu a 180km/h, atirando-o contra o carro de Geoff Lees.

Paletti sofreu graves ferimentos no tórax e encontrava-se inconsciente no seu carro, aprisionado contra o volante. Pironi e o Dr. Sid Watkins, o médico da FIA, chegaram ao carro acidentado numa questão de segundos para socorrer o italiano. Quando Watkins se debruçou sobre os destroços do Osella, o combustível que tinha vertido do depósito completamente cheio incendiou-se, envolvendo o carro num autêntico mar de chamas. O fogo intenso foi extinto, mas Paletti já se encontrava sem pulsação. Foi retirado do carro e levado de imediato para o hospital, onde morreu pouco depois de ter entrado. É um testemunho à qualidade das equipes médicas e da roupa protetora da Fórmula 1, uma vez que apesar do fogo, Paletti não sofreu queimaduras.

A morte prematura de Paletti foi a segunda fatalidade na Fórmula 1 nesse ano. Semanas antes, o canadense Gilles Villeneuve tinha sofrido um acidente fatal durante a qualificação para o Grande Prémio da Bélgica em Zolder. Paletti seria o último piloto a morrer num Grande Prémio até ao Grande Prêmio de San Marino de 1994, que viu Roland Ratzenberger morrer durante a sessão de qualificação, e o tricampeão do mundo Ayrton Senna durante a corrida.

Como tributo ao jovem italiano, o circuito em Varano de' Melegari, perto de Parma, tem hoje o seu nome.

O seu corpo encontra-se sepultado no Cemitério Maggiore de Milano.

    Posts Relacionados