Valentino Rossi

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Valentino Rossi (Urbino, 16 de Fevereiro de 1979) é um piloto profissional de motociclismo e vencedor de vários títulos mundiais de MotoGP.Com 9 campeonatos mundiais de motociclismo no seu "palmarés" é considerado um dos mais bem sucedidos desportistas e o melhor piloto de motociclismo de todos os tempos. Após uma Era de épocas dominadas pelo piloto, em 2006 perdeu a chance de obter o oitavo título, terminando o campeonato em segundo lugar. Com poucas corridas para o final da temporada de 2007, perdeu novamente o título, desta vez para o australiano Casey Stoner. Entretanto, em 2008 voltou a subir ao trono, conquistanto o oitavo campeonato mundial, e, consecutivamente, em 2009 repetiu o feito, ficando com 9 campeonatos mundiais.

De acordo com a revista Sports Illustrated e com outras fontes fiáveis, Rossi está nos lugares mais cimeiros da lista dos 20 desportistas mais bem pagos do Mundo, chegando aos 35 milhões de dólares por ano.

Foi considerado um dos cinco melhores desportistas mundiais da primeira década do terceiro milénio (2000-2010). Entre vários prémios obtidos, destacam-se cinco referências nos "Laureus Sports Awards" (Prémios de maior prestígio do Desporto Mundial). Quatro nomeações para o prémio de "Desportista Mundial do Ano" (2004; 2005; 2009; 2010). E o prémio de "Spirit of Sport" que Rossi recebeu em 2006.

Seguindo a carreira de seu pai, Graziano Rossi, Rossi começou a correr no MotoGP, no Grand Prix da 1996, pela Aprilia, na categoria de 125cc e venceu o seu primeiro campeonato mundial no ano seguinte. A partir de então, transferiu-se para a categoria 250cc, novamente com uma Aprilia, e ganhou o Campeonato Mundial em 1999. Ganhou o Campeonato Mundial de 500c com uma Honda, em 2001. Conquistou os Campeonatos Mundiais de 2002 e 2003 do MotoGP também com uma Honda, e continuou sua conquista de campeonatos do MotoGP em 2004, 2005, 2008 e 2009, depois de deixar a Honda e entrar para a Yamaha.

Rossi é conhecido pela sua excentricidade dentro e fora das pistas. No mundo do motociclismo é conhecido como "Il Dottore" (O Doutor) ou "The Doctor". Desde o ínicio usa o número 46 em homenagem ao pai, Graziano Rossi. Viveu em Londres entre 2000 a 2008. Mas depois de solucionar o ajuste de pagamento do fisco italiano, voltou à sua cidade natal, Tavullia.

"Vale" persegue recordes. Um dos poucos que lhe falta é obter 123 vitórias para conseguir bater o detentor deste recorde (Giacomo Agostini, com 122 vitórias). Acreditamos que seja possível quebrar este recorde, visto que, o piloto já bateu, praticamente, todos os recordes. Rossi já tem, no seu palmarés, 104 vitórias, a contagem é decrescente, veremos...

Realizou vários testes com um Ferrari, para uma possível mudança das motos para os monolugares da Fórmula 1, mas tal acabou por não se concretizar. De há uns anos, até hoje, acredita-se na possibilidade de Valentino aceitar, finalmente, o convite da Ferrari para integrar a equipa Ferrari da F1. Também se fala na possibilidade de passar pelos rallys, em 2010 participou no Monza Rally, terminando em 2º. Mas como sabemos, tudo depende da vontade que Rossi tem no momento em é necessário tomar decisões, apenas é certo que Rossi pretende vencer o campeonato mundial de 2010 no MotoGP. Já se ouviu Rossi afirmar que até aos 34 é possível estar no topo da competitividade, tornando válidas as hipóteses de vencer mais campeonatos em MotoGP, ou correr na F1, ou até nos Rallys.

Em resumo, Valentino Rossi é um atleta que está há muitos anos ao nível mais alto da competição mundial e, ao que aparenta, continuará. Pelo menos, é sua vontade continuar na "ribalta".

Valentino Rossi nasceu em Urbino. Filho de Graziano Rossi, um ex-piloto de motociclismo, teve o seu primeiro contacto com as motos ainda aos 2 anos, e a sua gloriosa carreira teve altos e baixos, mas principalmente "altos", basta referir que é um dos desportistas com mais sucesso da história da Humanidade, tendo um curriculum vitae simplesmente fora do normal, repleto de recordes quebrados e "criados".

A primeira paixão pela velocidade, realmente, veio com os karts. Aconselhado pela mãe de Rossi, Stefania, e também para a segurança de seu filho, Graziano comprou um kart para substituir as motos. Entretanto, a família Rossi procurou ir mais rápido, propondo um redesign; Graziano trocou o motor de 60cc por um motor nacional de 100cc para o kart do filho, que estava com 5 anos de idade, na altura.

Embora Valentino mostrasse interesse por coisas como tocar guitarra e jogar futebol, o seu interesse pela escola vinha a decair cada vez mais. Apesar de sua mãe tê-lo matriculado numa escola de futebol, ele achava mais interessante observar caixas de brita e qualquer tipo de corridas, principalmente de motas.

Graziano tentou forjar documentos na tentativa de conseguir uma licença de piloto, de kart, para o filho, um ano antes do permitido pela lei (Rossi tinha 9 anos na época), falhando totalmente. Valentino venceu o campeonato regional de kart em 1990. Nessa época, uma nova mania mudou o destino do menino. As minimotos tornaram-se a sua "febre" e, antes do final de 1991, Valentino venceu 16 corridas regionais.

Visto que, as minimotos eram apenas uma diversão, Rossi continuou a competir de kart e terminou em 5º lugar no campeonato nacional de kart em Parma. Ambos, pai e filho, começaram a pensar numa mudança, de Valentino, para a série italiana de 100cc, correspondendo, assim, ao nível europeu. Desta forma, a hipótese de chegar à Fórmula 1 tornava-se bastante fácil. Entretanto, o alto custo das corridas de kart, provocou a tomada de uma decisão um pouco diferente dos planos, anteriormente pensados, transferindo Rossi para as minimotos. Entre 1992 e 1993, Valentino continuou a aprender como controlar as minimotos, de forma a pilota-las extraordinariamente bem, ganhando corrida após corrida.

Com o talento de Rossi a crescer, tornou-se totalmente claro que uma moto mais potente era necessária para o seu progresso. Em 1993, Rossi adquiriu uma Cagiva Mito de 125cc, que foi destruída logo na primeira curva, não mais do que uns 100 metros além da partida.

A moto foi reparada, dando a Rossi a oportunidade de corrigir o erro da primeira curva, indo bater logo na segunda curva. Ainda era um momento de diversão para Rossi, que serviu somente para "Vale" perceber o que uma moto, realmente, significaria para ele.

Valentino terminou o fim-de-semana em 9º. Embora a sua primeira temporada no Campeonato Italiano de Produção Desportiva fosse variada, a sua consistência ajudou-o a melhorar as suas habilidades de piloto, dando-lhe uma pole position na última prova, em Misano, onde finalmente conseguiu terminar no pódio. No segundo ano, Rossi testou uma Mito de fábrica, do gerente da Cagiva, Claudio Lusuardi e, então, venceu o título italiano.

Em 1994, a Aprilia, através da Sandroni, encontrou um novo talento, Valentino Rossi, e passou a utilizá-lo para melhorar, significativamente, a RS125. Isto permitiu a Rossi aprender como lidar com uma rápida moto de 125cc do campeonato mundial. Primeiro correu, na Sandroni, no campeonato italiano de 1994, e continuou a correr no campeonato europeu e italiano de 1995.

Rossi conseguiu um pequeno sucesso na temporada de 1996, do campeonato mundial, colecionando mais acidentes do que tinha até então, não conseguindo terminar nenhuma das 5 primeiras corridas do campeonato. Entretanto, em Agosto, Rossi, conseguiu vencer a sua primeira corrida no campeonato mundial, em Brno, na República Tcheca. No final da temporada acabou por terminar em 9º na classificação geral de pilotos, com algumas performances inconsistentes mas ainda demostrando altas velocidades. Rossi passou por um período de aprendiz, que ajudou a desenvolver as suas habilidades o suficiente para dominar, completamente, o campeonato mundial das 125cc na temporada de 1997, vencendo um impressionante número de 11 corridas, das 15 disputadas (ainda hoje um recorde a ser batido na categoria).

Para a temporada de 1998, a Aprilia tinha uma fantástica equipa de pilotos. Valentino Rossi, Loris Capirossi e Tetsuya Harada eram os pilotos integrantes dessa "equipa maravilha", da Aprilia, para pilotar a RS250. Mas, mesmo com uma moto rápida e experientes campeões mundiais como companheiros de equipa, Rossi esforçou-se na sua primeira temporada nas 250cc. Rossi considera 1998 o ano de maior resistência da sua carreira, pela enorme pressão que sofria cada vez que corria, como, aliás, já era esperado pela Aprilia, os media e, efetivamente, todos em seu redor. A morte de dois amigos num acidente de carro veio aumentar ainda mais essa pressão. Novamente Rossi encontrou-se num período de aprendiz com a sua nova moto na primeira temporada, concluindo, assim, a temporada de 1998 em 2º lugar, somente 3 pontos atrás do campeão Loris Capirossi. Em 1999, entretanto, ele venceu o campeonato, colecionando 5 pole positions e 9 vitórias.

Rossi foi recompensado em 2000, pelo seu campeonato mundial nas 250cc, sendo contratado pela Honda para aquela que era a classe máxima do campeonato mundial de motovelocidade, as 500cc. Jeremy Burgess, que fazia parte da equipa principal da HRC (Honda Racing Corporation), mostrou-lhe a NSR500 e ficou convencido que a parceria Rossi-Burgess não traria nada, além de sucesso. O Campeão Mundial das 500cc, Mick Doohan, que também teve Jeremy Burgess como seu engenheiro-chefe, trabalhou com Rossi como seu mentor pessoal no seu primeiro ano na Honda. Seria, também, a primeira vez que Rossi correria contra um feroz rival, Max Biaggi. Embora ambos nunca tivessem corrido um contra o outro, uma rivalidade intensa foi desenvolvida graças à determinação e carisma de Rossi e o orgulho romano matador de Biaggi. Os media naturalmente aumentaram um pouco as coisas qu se iam passando entre os pilotos, publicando qualquer deliciosa bisbilhotice, fosse alegada ou real. Rossi tratou de mostrar a força da NSR500, constantemente usando sua mente analítica com refinamento adicional. Rossi precisou de nove corridas para conseguir vencer, uma primeira vez, na Honda. Tal como aconteceu nas temporadas de 125cc e de 250cc, era inevitável que 2000 fosse um aquecimento para uma segunda temporada dominante. Valentino, na temporada de 2000, terminou em 2º, atrás de Kenny Roberts Jr., com Max Biaggi terminando em terceiro colocado.

A 31 de Maio de 2008, durante a sessão de treinos livres, o italiano entreteve o público com a apresentação de novo desenho do seu capacete pensadi, exclusivamente para o Grande Prémio de Mugello (Itália). O capacete, da marca AGV, foi desenhado por Aldo Drudi e conta com uma imagem do rosto de Rossi, muito excitado, para transmitir aos seus fãs uma boa ideia de como se sente ao correr em Mugello, um traçado onde as velocidades excedem os 320 km/h.

No Grande Prémio da França, em 19 de Maio de 2008 em Le Mans, Rossi conseguiu igualar a marca de 90 vitórias em todas as categorias da Motovelocidade com Angel Nieto. Nieto estava na platéia, vestindo uma camiseta especial parabenizando Rossi. Nieto montou na moto de Rossi, que ficou como passageiro segurando uma bandeira que continha a inscrição "90 + 90", quando ambos fizeram a volta da vitória.

No Grande Prémio da Holanda, em 28 de Junho de 2009, em Assen, Rossi juntou-se ao seu clube de fans para comemorar a sua vitória número 100, abrindo um "mega" poster com uma foto de cada uma das 100 vitórias.

Posts Relacionados